Abas primárias

RED Webseries

Vídeo - Rio de Janeiro, RJ
kicks
Arrecadados da meta de R$7.000,00
Encerrado!
Campanha flexível

Esta campanha recebeu todos os fundos arrecadados até 06/11/2014.

Recompensas

  • R$10,00

    10 ou +
    Menção em nosso Twitter, com um super obrigado, e seu nome na página de agradecimentos do nosso site.
    5 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 30/10/2014

  • R$20,00

    20 ou +
    Agradecimento nos créditos de um de nossos episódios + as recompensas acima.
    13 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 30/10/2014

  • R$35,00

    35 ou +
    Seu nome citado em um vídeo de agradecimento no Instagram feito por uma de nossas protagonistas + todas as recompensas acima.
    6 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 30/10/2014

  • R$50,00

    50 ou +
    Um vídeo chat de 15 minutos com alguém do elenco ou da equipe, a sua escolha + todas as recompensas acima.
    7 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 30/11/2014

  • R$100,00

    100 ou +
    Uma réplica de uma das obras do artista plástico Milton P. B. Neto, cujo trabalho tem destaque na série + todas as recompensas acima.
    5 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 30/11/2014

  • R$500,00

    500 ou +
    Seu nome nos créditos como Produtor Executivo + todas as recompensas acima.
    Entrega estimada em 30/11/2014

  • R$1.000,00

    1000 ou +
    Participação em um episódio da segunda temporada da série + todas as recompensas acima.
    Entrega estimada em 01/11/2015

RED é uma websérie de 8 episódios que mostra o encontro entre Mel Béart e Liz Malmo, atrizes que se conhecem durante as gravações de um curta-metragem – RED (daí o nome da websérie) –, e acabam por levar para a vida real o envolvimento amoroso que vivem na ficção, como Scarlet (Mel) e Simone (Liz).

Partindo de referências como os filmes Noir do anos 50, e séries como “The L Word”, RED fala de amor e de encontros, encontros que se dão de maneira inesperada, que podem mudar a direção de nossas vidas, e nos fazer questionar o que sabemos sobre nós mesmos.

A série será lançada na internet no fim de setembro. Acompanhe!

Espectadoras assíduas de séries e atentas a maneira como a comunidade LGBT vem sendo, ao longo dos anos, representada nesse tipo de mídia, as roteiristas Viv Schiller e Germana Belo sentiram falta de uma série nacional dedicada a contar o relacionamento entre duas mulheres de forma franca e genuína. Elas resolveram então apostar na produção independente e na acessibilidade que a Internet proporciona para contar a história que elas mesmo, como espectadoras, gostariam de assistir. 

O diretor Fernando Belo, ao receber o texto das mãos das duas roteiristas, também se empolgou com a ideia e resolveu embarcar no projeto. À partir daí, foi só planejar tudo, escalar o elenco, chamar a grande Carol Moreira pra ajudar com tudo e mais um pouco e começar as gravações que ocorreram no mês de agosto no Rio de Janeiro.

Roteiro: Viv Schiller e Germana Belo

Direção: Fernando Belo

Assistência de produção: Caroline Moreira

Esse projeto é uma produção independente. 

PRODUÇÃO INDEPENDENTE = PAGO DO PRÓPRIO BOLSO

Todos nós fizemos algum tipo de investimento no projeto, principalmente na compra de equipamento de som, alimentação para a equipe durante a filmagem, transporte dos atores para algumas locações, materiais e objetos de cena. Parte do dinheiro arrecadado vai ser usado para recuperarmos esse investimento inicial.

Mas o principal motivo para lançarmos essa campanha é viabilizar a produção da segunda temporada da série programada para o primeiro semestre de 2015. Gostamos muito do resultado que obtivemos nessa primeira - resultado que vocês logo vão conferir! - mas sabemos que podemos ir além podendo contar com algumas coisinhas que faltaram nessa primeira temporada, principalmente equipamento de luz apropriado e uma equipe para nos ajudar no set, com assistente de direção, diretor de fotografia e designer de som/operador de boom. E isso custa um dinheiro que não pudemos investir nessa primeira vez.

A visibilidade LGBT tem sido cada vez mais tema de discussões, e da indústria cinematográfica às grandes redes de televisão estrangeiras, vemos um crescente investimento em histórias com essa temática. Contudo, quando se trata da mídia nacional, esse movimento ainda é tímido. Aos poucos a televisão vai abrindo espaço para esses personagens e histórias, mas ainda estamos dando os primeiros passos nessa direção. Projetos como o nosso são muito importantes para mostrar para a grande mídia que existe sim um grande público LGBT que quer se ver representado de maneira realista, com respeito e sem cair no erro da caricatura ou da censura tradicionalista. Viabilizando a primeira e a segunda temporadas de RED, esperamos contribuir para o avanço dessa discussão e para a abertura de mais espaço para o público LGBT nas novelas, séries de TV, filmes, e outros.

Partindo de idéias como cultura participativa e convergência das mídias, RED também surge com a proposta de trazer para seu público uma maneira mais ampla de experienciar a história que pretende contar, através de uma narrativa que, neste caso, não se restringe ao audiovisual, e gera conteúdo em diferentes plataformas, como por exemplo, em redes sociais como o Twitter e Instagram. Isso quer dizer que o espectador sabe da história não só através do que assiste, mas também de informações a que tem acesso através desses diferentes meios. Longe de ser novidade, é fato que, hoje, ainda pouco se oferece nesse sentido quando consideramos o que é produzido nacionalmente.

Esperamos que esse seja o primeiro de vários projetos desenvolvidos pela equipe de RED. O sucesso das nossas primeiras temporadas vão abrir portas para desenvolvermos novas séries e filmes, sempre abordando temas que julgamos importantes para a sociedade em que vivemos, contados de maneira a valorizar a experiência de nosso espectador.


A hora é agora! Contribua com
RED Webseries

Saiba mais sobre o criador desta campanha:

Twitter

Conheça quem está a frente desta campanha

Fernando Belo
  Fernando Belo
  

Você acredita que essa campanha tenha conteúdo proibido? Reporte esta campanha.