Abas primárias

Ajude a Mayara e faça a diferença!

Educação - Curitiba, PR

Ajude a divulgação desta metodologia de impacto global!

 

Nosso sonho é acabar com a frustração e o trauma que muitas pessoas possuem quando se trata do aprendizado de uma língua estrangeira. Esta é a principal missão da Liaison Applied Linguistics, uma empresa especializada e apaixonada pela pesquisa e ensino de idiomas.  

 

Em 2017, tomamos a decisão de colocar nossa teoria à prova através de dois caminhos. O primeiro foi expor nossa metodologia à comunidade científica e o segundo foi começar um projeto social com pessoas que tinham dificuldades na sua língua materna e sem conhecimentos em inglês.

 

O primeiro caminho: 

Para apresentar nossas descobertas para a comunidade científica, decidimos submeter nosso trabalho e apresentá-lo em uma conferência internacional na Europa, a SFT 2017 (4ª Conferência sobre Ensino de Línguas Estrangeiras) em Saarbrücken, na Alemanha. Visto que era uma conferência importante, como uma pequena startup brasileira, não esperávamos a aceitação, porém, felizmente fomos aceitos e tivemos o prazer de apresentar nossa metodologia para PHDs de várias partes do mundo. Continuando nossa missão de buscar uma solução para esse problema global, em 2018, submetemos nossa metodologia para a maior conferência do Japão, JALT 2018 (44ª Conferência Internacional sobre o Aprendizado e Ensino de Idiomas) em Shizuoka, no Japão. Atualmente, Rodrigo Rodrigues, fundador da Liaison, é associado à Associação Japonesa de Ensino de Línguas, a um grupo especializado de pesquisa sobre cérebro, mente e educação.

 

Rodrigo Rodrigues, fundador da Liaison na Conferência em Saarbrücken, Alemanha, em 2017

 

Rodrigo Rodrigues, criador da metodologia Brain Connected na Conferência em Shizuoka, Japão, 2018

 

O segundo caminho:

Paralelamente às publicações científicas, começamos um projeto social na Vila Torres, uma comunidade carente, em Curitiba, Brasil, e percebemos o quanto nossa metodologia estava mudando vidas. Os estudantes não apenas estavam aprendendo uma nova língua, mas também estavam recuperando a sua autoestima e confiança. Isso foi alcançado através da melhoria do conhecimento na sua língua materna, português, ao mesmo tempo em que aprendiam o inglês.

 

Mayara dando aula na Vila Torres para os alunos deste ano

 

A Liaison tem em seu DNA a paixão por servir e pelo voluntariado. Uma amostra disto é que 15% de nossas 4.696 horas de aulas dadas até o momento foram aulas voluntárias e aulas associadas a projetos sociais. Estamos pedindo sua doação para podermos servir mais e melhor. Somos apaixonados pelo ensino e pesquisa de idiomas, tanto quanto somos apaixonados por servir pessoas. Para nós, isto é um privilégio e somos agradecidos por esta oportunidade. Com cada hora doada, aumentam-se os casos de vidas transformadas, como é o caso da Mayara.

A Mayara é uma de nossas alunas da turma de 2018, ano em que se iniciou o projeto na Vila Torres. No período de apenas 1 ano e meio, ela teve uma transformação relevante. Saiu de um nível de dificuldades com o português e mal saber uma palavra em inglês, para se tornar nível B1 em inglês. Desde março, ela também é monitora e, às vezes, instrutora de inglês no Projeto Vila Torres deste ano, 2019.

 

Por que precisamos da sua ajuda? 

Depois de quase 2 anos de intenso trabalho e dedicação, os dois caminhos pelo qual decidimos em 2017, se encontraram. Pois, mediante nossa pesquisa e aplicação da metodologia em 4.696 horas de ensino, observamos resultados muito interessantes. Para a grande maioria, estudar uma nova língua é uma experiência que proporciona muito mais frustração e ansiedade do que a alegria de ampliar horizontes e abrir inúmeras oportunidades em uma sociedade globalizada. 

 

Temos convicção que podemos mudar muitas vidas ao redor do mundo através de uma metodologia adequada para o ensino de idiomas. Por isso, pedimos sua ajuda para mudar a vida da Mayara. Queremos levá-la para a Alemanha, como uma prova viva de que a nossa metodologia é eficaz, além de dar a ela a oportunidade de se desenvolver participando de uma conferência internacional em outubro, deste ano. A conferência, a qual é especializada no ensino de línguas estrangeiras, será realizada em Saarbrücken, na Alemanha. Com seu nível de inglês, a Mayara poderá interagir diretamente com PHDs sobre sua jornada e experiência no aprendizado do inglês.

 

Além de proporcionar à Mayara a oportunidade de conhecer a Europa e ir à conferência, também queremos proporcionar a ela uma experiência cultural que possa agregar valor à sua formação como pessoa e cidadão. Queremos levá-la a importantes museus, os quais estarão no trajeto da viagem.

Portanto, nosso objetivo é financiar as despesas relacionadas à viagem para a Conferência da Alemanha a fim de divulgar a metodologia.

Uma vez que alcancemos o valor almejado, todo valor adicional será destinado à reforma da sala onde acontecem as aulas na vila torres e continuação da pesquisa para finalização e publicação do artigo científico sobre a metodologia. 

Desta forma, podemos compartilhar nossa pesquisa com o mundo e ajudar as pessoas a superar essa barreira que muitas vezes parece intransponível. Com sua ajuda, nossas descobertas alcançarão um público maior. Poderemos ajudar mais pessoas, recuperando a confiança delas em sua capacidade de aprender um novo idioma.

 

Nos ajude a levar tal transformação a mais vidas e a vários continentes!

 

Abaixo você poderá encontrar outros testemunhos de vidas transformadas através da metodologia Brain Connected.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para conhecer mais sobre nossa metodologia acesse:

https://www.liaisontec.com.br/metodologia-brain-connected/

 

Sua ajuda fará isto possível.

 

Muito obrigado.

 


A hora é agora! Contribua com
Ajude a Mayara e faça a diferença!

Saiba mais sobre o criador desta campanha:

Facebook | Instagram | Website | Metodologia Brain Connected

Conheça quem está à frente desta campanha

Rodrigo Rodrigues
  Rodrigo Rodrigues
  

Você acredita que essa campanha tenha conteúdo proibido? Reporte esta campanha.