A Bíblia dos Santistas: garanta a nova edição!

Livros – ,
Odir Cunha 5 anos

Valeu o apoio. Obrigado a todos!

A campanha para a reimpressão do livro Time dos Sonhos está chegando ao fim e aproveito para agradecer a todos que participaram dela. O livro ficará muito bonito e ainda mais completo e perfeito do que o original.

A meta financeira não foi alcançada, mas o livro será lançado mesmo assim, apenas com uma tiragem menor, mas com todas as recompensas previstas e ainda com royalties sobre as vendas, além de 50 exemplares, destinados ao Santos Futebol Clube.

Jornalistas e historiadores do futebol também receberão o livro, que servirá para manter viva a rica história santista.

Estamos planejando um grande evento de lançamento, em outubro. Logo todos serão devidamente informados.

Agradeço também à Kickante por idealizar, apoiar e coordenar essa campanha. Abraços especiais ao editor Marco Piovan, ao diretor de arte Claro Junior e ao cinegrafista João Lucca Piovan.

Fortes abraços!

Odir Cunha 5 anos

A história pode mudar o presente

Escrevo na madrugada de quarta para quinta-feira. Há poucas horas o Santos venceu o Corinthians por 2 a 0 e poderia ter conseguido até uma vantagem maior, tal o seu domínio, principalmente no segundo tempo. No Rio, o Vasco, último colocado do Campeonato Brasileiro, bateu o Flamengo por 1 a 0. As duas partidas valeram pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil.

Por mais que as fases de Santos e Vasco sejam mais discretas do que, respectivamente, as de Corinthians e Flamengo, creio que ninguém que acompanhe o futebol e conheça um pouco da história dos grandes clubes brasileiros, tenha imaginado que Santos e Vasco seriam derrotados, e com facilidade. Há momentos, e os clássicos exprimem isso, que a história entra em campo e equilibra tudo.

Se um crítico se basear apenas nos números frios das tabelas de classificação, certamente fará muitos previsões equivocadas. Futebol não é uma ciência exata. Tudo o que os times já fizeram, tudo o que suas camisas representam deve ser levado em conta.

A história pode, sim, mudar o presente, pois ao saber tudo o que sua equipe já conseguiu ao longo de sua existência, os jogadores se sentem mais confiantes para alcançar suas metas, por mais ambiciosas que sejam.

Times como o Santos nasceram para brilhar, para disputar títulos e protagonizar grandes jogos. A história, que está em livros como Time dos Sonhos, mostra isso. Fases difíceis existem, dificuldades financeiras, infelizmente, são comuns na vida do Alvinegro Praiano, mas ele sempre tem sabido superá-las.

Ao buscar força nos feitos do passado, o time atual pode mudar o seu presente. Por isso, não está previsto, mas, assim como fiz com o time de 2004, pretendo presentear comissão técnica e jogadores do Santos com o exemplar reeditado de Time dos Sonhos. Tenho certeza de que, ao conhecer as proezas do Santos, se sentirão mais fortes para repeti-las.

Odir Cunha 5 anos

A história do Santos é um espetáculo

Neste vídeo você verá a festa pelo lançamento do livro "100 anos de futebol-arte", um livro oficial do Centenário do Santos, lançado em 2012. Tive a honra de escrevê-lo.

Ele não é o Time dos Sonhos, que estamos relançando nesta campanha de crowdfunding da Kickante, mas a repercussão desse lançamento e as personalidades que ele atraiu dá uma boa ideia de como um livro sobre a história do Santos pode ser importante para gratificar as pessoas que fizeram parte da história do clube e também para divulgar o clube positivamente na mídia.

Por saber dessa importância é que eu defendo que um clube de futebol, não só o Santos, mas qualquer um, não taxe esses livros como se fossem um produto de consumo comum - como se fossem uma marca de biscoito, ou pasta de dentes.

Se nenhuma editora se interessasse por publicar a história do Santos, o próprio clube não teria de fazê-lo, ou iria permitir que sua história fosse mal e porcamente contada pela imprensa esportiva?

Odir Cunha 5 anos

Por que apoiar a reedição de Time dos Sonhos

Neste vídeo eu explico porque você deve apoiar o relançamento do livro Time dos Sonhos. Basicamente, porque se os santistas não contarem com livros que contem a verdadeira história do clube, ele jamais saberá exatamente tudo de importante que o Santos fez. Se dependermos da grande imprensa, teremos uma visão distorccida e subestimada da história do Santos.

Mas, evidentemente, se a leitura não for prazerosa, se o livro não trouxesse fatos novos e interessantes, não valeria a pena entrar na campanha da Kickante e eu não estaria insistindo para você entrar. Não quero que você me ache um chato e nem que se arrependa de adquirir o livro.

São apenas 70 reais por um livro ricamente encadernado, com mais de 530 páginas, que você consultará a vida toda sobre a história do Santos. Então, creio que o investimento é válido. Claro que sou suspeito para escrever isso - não só porque sou o escritor, mas porque sou um viciado na história do futebol. Tenho mais de 200 livros, além de revistas e recortes sobre futebol.

Não sei se já falei, mas em 12995 e 1996 mantive a Revista do Futebol, publicação mensal sobre este esporte, e entre 2009 e 2010 fui o editor da versão em português da revista britânica Four Four Two.

Então, para mim, conhecer a história do futebol é essencial para ter uma opinião abalizada sobre o esporte, saber pesquisar e entrevistar pessoas que militam na área. Modéstia à parte, esse conhecimento me abriu e me abre muitas portas. Não teria sido o biógrafo de Pelé, nem estaria preparando outros livros sobre ídolos do futebol caso eles não confiassem em mim, na minha competência como pesquisador e redator.

Não sei o que você quer fazer na vida, que profissão segue ou seguirá, mas, quem sabe, esse gosto pela pesquisa, ou pelo futebol, pode vir da leitura de um livro como Time dos Sonhos? No meu caso, confesso que o Álbum de Ouro, de Adriano Neiva, o De Vaney, foi muito importante para despertar minha vontade de vasculhar documentos antigos, jornais e revistas, em busca de informações não só sobre o futebol, mas sobre outros esportes dos quais escrevi.

Odir Cunha 5 anos

A história impede injustiças

Felizmente poucos duvidam da importância do conhecimento histórico no futebol. Alguns, porém, às vezes me pedem algum exemplo prático do que esse conhecimento pode ajudar o esporte e, mais precisamente, o nosso querido Santos Futebol Clube. Pois eu digo que o conhecimento dos fatos verdadeiros só pode ajudar na isenção e na ética, o que livra a cultura do futebol dos lobbies e das influências políticas que tendem a mascarar os fatos e favorecer os clubes de maior popularidade.

Sim, acima da imprensa diária e factual, os livros perscrutam e se aprofundam no passado, nas origens do esporte, dos clubes e das competições, trazendo uma visão real, clara, não distorcida pelas preferências do momento. Todo clube deveria se dedicar a preservar sua história com carinho, sob pena de ter os seus feitos desvalorizados ou mesmo esquecidos pelos formadores de opinião.

Neste vídeo, em que converso com o notável repórter esportivo Victorino Chermont, - a quem sempre serei grato pelo generoso espaço dado - posso explicar, uma a uma, as edições da Taça Brasil e do Torneio Roberto Gomes Pedrosa, e justificar, com fatos e argumentos, a tão feliz Unificação dos Títulos Brasileiros, anunciada em dezembro de 2010, no Itanhangá Golf Club, no Rio de Janeiro.

Hoje, refazendo capítulo a capítulo do livro Time dos Sonhos que será relançado nessa campanha da Kickante, reconheço nele os fundamentos para a produção do Dossiê que resgatou uma era de ouro que estava ficando esquecida da história do futebol brasileiro, e, com ela, os seis títulos brasileiros que o Santos conquistou em 1961/62/63/64/65/68.

Um dos meus objetivos, provavelmente o mais importante, ao escrever livros históricos sobre o futebol e sobre o Santos, foi e é o de despertar em outros jornalistas e pesquisadores o gosto por essa garimpagem, esse vasculhamento dos fatos históricos. Nunca estarei planamente convencido de que os fatos são exatamente como a imprensa nos contou, antes de checá-los por minha própria conta.

Hoje o Santos tem a sorte de contar com um grupo de pesquisadores de sua história, fundadores da Assophis, a Associação dos Pesquisadores e Historiadores do Santos, que conta com nomes como Guilherme Guarche, Guilherme Nascimento, Marcelo Fernandes, Wesley Miranda, José Roberto Brandi, Vitor Loureiro Sion e Guilherme Pierin, entre outros. Quem sabe a leitura de Time dos Sonhos também não faz de você mais um pesquisador da história do futebol...