Abas primárias

A Ecologia da Liberdade - Lançamento

Livros - Caxambu, MG

Uma obra essencial para entender a relação entre sociedade, ecologia e anarquismo

Murray Bookchin foi um dos primeiros acadêmicos que começou a unir a sociedade com o meio ambiente. É reconhecido mundialmente como alguém que popularizou o conceito "ecologia social" no planeta. Desde os anos '60 começou a se interessar sobre o assunto e foi publicando vários livros sobre o tema. Em "A Ecologia da Liberdade" demonstra sua ampla cultura, erudição e conhecimento sobre o assunto, o que o torna uma referência essencial, não só nos âmbitos universitários. 

De sua formação marxista evoluiu a visões libertárias, focalizando no anarquismo e sua relação com a ecologia. O maior exemplo de sua influência se dá na revolução do povo kurdo em Rojava. 

Nesta obra dá uma bem fundamentada visão da evolução humana desde tempos pré-bíblicos, passando por pensadores, filósofos, ativistas sociais, utopistas, religiosos, anarquistas, etc., até chegar nos anos '80, quando publicou este livro. Apresenta sua forma de entendimento do patriarcado até sua evolução que resulta no capitalismo como hoje se apresenta. Simplificando, poderiamos dizer que apresenta a Evolução do Pensamento Social e Ecológico na história da humanidade. 

Se hoje, com muita resistência e atraso, está se começando a aceitar e estudar a evidente relação do ser humano e a sociedade da qual faz parte com a ecologia de nosso planeta, nas faculdades de Ciências Socias, sem dúvida se deve ao trabalho deste pioneiro.

"A Ecologia da Liberdade" é seu principal livro e com imensa satisfação venho oferecé-lo ao público brasileiro visando compensar meu trabalho de tradução e edição. O valor total da meta desta vaquinha não visa lucro e sim a difusão dessa preciosidade em nossa terra.

 

Para que estou fazendo esta Vaquinha

Nem preciso me referir ao problema econômico-financeiro pelo qual estamos passando devido à pandemia. É algo que nos afeta a todos nós e dá pra entender a procura de outras formas, diferentes das acostumadas, para tentar amenizar a situação.

Acho que no meu caso é pior, porque não recebo uma só encomenda há coisa de um ano. Salvei um tanto com a Feira Anarquista da Lapa-São Paulo, em novembro. Mas a recessão já estava se mostrando desde muito antes de aparecer o vírus e o resultado ficou aquém do esperado.

Começos de setembro detonou minha impressora, fiel companheira durante três anos e meio. Comprei outra, modelo novo, mas essa nem papel reciclado conseguia imprimir. Só deu problemas e decidi vender [ainda estou pagando]. Sem condição de comprar outra.

Foi então que decidi fazer uma vaquinha online para a compra de uma boa impressora. O livro do Bookchin me parece um bom produto para incentivar sua colaboração.

Também preciso comprar papel e tinta para produzir os livros que entregarei depois de fechada esta vaquinha.

Resumindo:

Impressora Multifuncional Monocromática EcoTank M3180

Valor atual [depende de flutuação do dólar] entre 2300 e 2700 reais, dependendo do distribuidor.

Capa de proteção para a impressora: R$ 67,75 incluindo frete.

Papel Reciclado A4 de 75 gramas

Aqui na cidade hoje consigo por 219,50 a caixa de 10 resmas 

Considerando o que usaria no caso que esta vaquinha tiver êxito, precisaria 2 caixas.

Tinta original Epson T534

Valores pesquisados entre 80 e 100 reais a garrafinha de 120 ml.

Considerando também a taxa repassada à Kickante, chego a um valor mínimo de R$ 3.500,00 para cumprir meu objetivo.

Se, por acaso, superar essa meta e sobrar uns trocos, tenha certeza que vou usar em coisas para a oficina e itens de consumo necessários para minha subsistência. 

 

Quem sou Eu?

Sou um “véio” [hahaha] com 77 anos e meio neste planeta. Viajei muito, morei em vários países e, como consequência, só posso assumir a condição de apátrida. Passei a metade da vida fora do Brasil.

Tenho estudos em Ciências da Comunicação, Psicologia Evolutiva e Ciências Políticas e Econômicas [este último focado em “socialismo libertário”]. Fora do ambiente acadêmico não paro de estudar e aprender sobre assuntos que me interessam ou considere necessários num momento dado.

Fiz tantas coisas na vida que até passaria vergonha se faço um currículo. Desde ocupações mais simples e brutas, até altos cargos em empresas multinacionais. Minha carteira de trabalho está virgem até hoje. Sempre tentei trabalhar por conta e não depender de salário e patrão.

Chutei o balde e me dediquei à produção de artesanato, cerâmica e bijuteria.

Isso, até aparecer na minha frente um computador. Literalmente pirei. Desde então se passaram 23 anos dedicados à produção de livros artesanais.

Sempre, desde criança gostei de ler e isso derivou na vontade de escrever. Não foi até fins dos anos ’80 que comecei a gostar do que e como escrevo. Não me interessam romances nem poesias. O foco são assuntos que possam contribuir, de alguma forma, à evolução da humanidade. Os livros que publico na minha editora PrintLeaks refletem isso.

Cresci aprendendo quatro línguas. Uma do país onde fui criado, outra em casa, e mais duas que eram obrigatórias no sistema educacional desse país. Nas viagens aprendi outras quantas. Esqueci a maioria por falta de prática.

Hoje sou fluente em espanhol, inglês, alemão e português. Se me topar com alguém da Noruega não passo vergonha. Confesso, nunca estudei português.

Quando comecei a receber um salarinho duma pensão [LOAS] do INSS comecei a encarar a ocupação atual como complemento de renda. Só que neste momento esse complemento está zerado.

 

A Editora PrintLeaks

A minha história de editor de livros começa em fevereiro de 1997, com meu primeiro computador.

Até esse momento usava máquina de escrever e fiquei deslumbrado com o msWord. Editei quatro livros meus e recebi dez encomendas de pessoal que soube o que estava fazendo.

Inventei “Edições Universo Separado” e as encadernações não podiam ser mais primitivas. Nada sabia disso e a incipiente internet não oferecia a quantidade de informações que hoje tem. Fui evoluindo no meu trabalho junto com a internet. Sou autodidacta, como em tantas outras coisas. 

Quando apareceu a WikiLeaks mudei o nome para PrintLeaks [vazou, eu imprimo].

Em todos esses anos até hoje meu foco foi publicar livros de outras pessoas por encomenda. Virei especialista no que chamo de “MicroTiragens”, sem colocar um mínimo para a quantidade de livros. A maior parte das edições são entre dez e trinta livros, com poucos chegando a quarenta ou cinquenta. Mas se quiser só um exemplar também faço.

Os livros que publico por conta e iniciativa pessoal são relacionados com o ‘nicho’ libertário. São temas sobre anarquismo, humanismo, anarco-humanismo, questões ambientais e de gênero, raça, feminismo, mais alguns fora desses temas, só porque acho bacanas,

Para vender minha produção participo de algumas feiras de livros, obviamente relacionadas com a temática escolhida. Destaco a Feira Anarquista que já aconteceu dez vezes no Tendal da Lapa, São Paulo. Sou assíduo desde a terceira, quando apresentei 16 títulos, e na última coloquei 44 títulos na banca.

Também botei banca na Avenida Paulista durante três anos, até mudar a Caxambu. Naquele tempo de sampa também fazia cadernos de anotações, meus “Notebooks Analógicos”.

Trabalho sozinho e me chamo de “Coletivo D1”. Minha oficina é um quarto onde tenho uma editora, uma gráfica e uma oficina de encadernação. O trabalho não é simples, não é só editar, imprimir e encadernar. A maioria dos livros que publico acho em PDF e com frequência em outras línguas. Tem que ser convertidas em arquivos editáveis e também faço as traduções, muitas desde o espanhol, mas também do inglês.

Digo que faço dois tipos de artesanato: o tradicional analógico e o eletrônico.

Desde que apareceu o papel reciclado dou preferência. Só por encomenda uso outros tipos de papéis. Os livros são vincados, as folhas furadas, os miolos costurados e colados, a montagem final, tudo feito a mão.

Dei vários cursos e oficinas sobre encadernação artesanal e produção de livros artesanais. 

Dá uma olhada no blog para conhecer meu lugar de trabalho onde tenho uma editora, uma gráfica e uma oficina de encadernação. 

A Tradução de “A Ecologia da Liberdade”

Descobri Murray Bookchin faz uns 5 anos atrás, justamente a través de seu livro “The Ecology of Freedom” que leva o sugestivo subtítulo “O Surgimento e a Dissolução da Hierarquia”.

Este livro me impactou, pois desenvolve o tema “Ecologia e Sociedade”, no qual sigo interessado. Até poderíamos dizer que apresenta a evolução do pensamento ecossocial na história da humanidade, desde tempos pré-bíblicos até a atualidade.

Mas seria errado considerar isso como sua única contribuição ao tema. Nos entrega muito mais do que isso quando se refere à hierarquia, ao patriarcado, ao rol da mulher na história, ao desenvolvimento do capitalismo e muito mais. Sempre com uma visão libertária dos assuntos tratados. 

Sua erudição, claramente fruto de profundos estudos, complicou esta tradução. Chega a usar palavras e expressões que não são achadas em nenhum dicionário, ou tão desconhecidas que exigem pesquisa mais profunda. Sem a internet teria tido muitos problemas para realizar esta tradução.

Desde aquele tempo quando li por primeira vez pensei que esse livro teria que ser traduzido. Mas nesses anos todos estava muito envolvido num Campeonato Nacional de Procrastinação.

Finalmente um inimigo macabro veio na minha ajuda. Devido ao Covid-19 estou isolado onde moro. É uma mini-chacrinha na roça, perto de Caxambu, no sul de Minas Gerais, circuito das águas. Nada a fazer mais que cuidar dumas poucas galinhas que destruíram o começo duma horta.

Aproveitei a oportunidade e fiz a tradução do inglês para o português.br. Foi um trabalho empolgante devido ao texto que estava relendo. Dediquei mais de doze horas diárias a este trabalho. Também fiz uma pré-edição que revela um livro de 500 páginas, com fonte tamanho 11. Neste momento o amigo Zé Henrique está revisando o texto, sem tanta pressa, já que não preciso disso até finalizar esta campanha.

Só quero destacar que se colocarmos um “valor mercado” nesta tradução e na edição do livro, o valor da meta desta campanha apenas é uma fração disso. 

 

Os Livros da Recompensa *

Do Murray Bookchin

A Ecologia da Liberdade – A5, 512 páginas

Textos Selecionados - A6, 160 páginas

Escuta, marxista! - A6

Eu vendia esse livro em espanhol. Estou trabalhando na tradução. O original tem 120 páginas.

Notebooks Analógicos são cadernos de anotações que faço em papel reciclado faz mais de dez anos. As contribuições que precisem ser enviadas por correio incluem um ou dois, dependendo da recompensa escolhida. 

Na foto tamanho A6, 144 páginas, miolo de papel reciclado 75 gramas, capa Colorplus 180 gramas, folha de guarda Colorplus 120 gramas. Com orelhas que servem como marca-páginas. 

O tamanho A5 tem 192 páginas. 

* fiz cálculos e tive que admitir que não dá para oferecer frete gratuito.

Tomo como referência a experiência de um amigo que recentemente fez uma vaquinha online com livros. Gastou mais de 25% do valor arrecadado nos correios. Isso aumentaria demais o valor da meta. 

Para baixar os custos pretendo enviar os livros como Impresso Normal. 


A hora é agora! Contribua com
A Ecologia da Liberdade - Lançamento

Saiba mais sobre o criador desta campanha:

Facebook

Conheça quem está à frente desta campanha

Ernesto Kramer
  Ernesto Kramer
  

Você acredita que essa campanha tenha conteúdo proibido? Reporte esta campanha.