Emaús: Nosso sonho tem que continuar!!!

ONGs – Belém, PA
JOSE MARIA DIAS 5 meses

Obrigado, Padre Bruno!!!!!!

Hoje nosso fundador deixou este plano terrestre. Sofreu um mal súbito na sua casa. Foi socorrido, mas não resistiu e faleceu.
Padre Bruno Sechi, obrigado pelo exemplo! Agradecemos profundamente pelo seu legado.

JOSE MARIA DIAS 6 meses

ECA: Vamos celebra-lo, vamos implementá-lo!

O Estatuto da Criança e Adolescente-ECA, vai fazer 30 em julho deste ano.
Nascido em um momento muito fértil da história democrática do Brasil, seu projeto foi condecorado pela ONU e copiado por muitos países que basearam suas leis nele.
O ECA devolveu à sociedade à responsabilidade pela garantia e defesa dos direitos de crianças e adolescentes.
Veja o video muito interessante produzido pela Radio Margarida, numa conversa descontraída com o padre Bruno Sechi.

JOSE MARIA DIAS 6 meses

5 de maio. Dia internacional de doar.

Hoje é um dia inspirador
Nesta terça-feira estamos comemorando o Dia de Doar Agora.

Uma data especialmente criada para celebrarmos as doações já recebidas e mostrar o poder de transformação que elas têm quando feitas em conjunto. A causa que nos une, nesse momento, é o combate aos efeitos do coronavírus.

E não é pequena a generosidade no país. O Monitor das Doações COVID-19 já mapeou mais de 4 bilhões e 120 milhões de reais em doações anunciadas, e 188 mil doadores. E isso é só o que foi possível contar até esta manhã!

Por isso hoje, além de um dia para doar, é também um dia para agradecer, um dia para homenagearmos quem está fazendo o bem pelo país.

Fica aqui nosso convite: faça uma postagem nas suas redes sociais, fale sobre a sua doação, e use as seguintes hashtags:

#diadedoar
#diadedoaragora
#eudoei
#orgulhodeserdoador (ou #orgulhodeserdoadora)
Nós estaremos acompanhando e celebrando junto com você.

Feliz Dia de Doar Agora

JOSE MARIA DIAS 6 meses

O que um "ex-garoto" do Emaús sente?

A lembrança,um rápido mergulho no passado. Voltam as sensações, o cheiro da feira, a aspereza das pedras , o vozerio dos feirantes, o gosto da fome...
Carlos Roberto relembra a vida de menino vendedor de cheiro verde e sacoleiro.
As crianças que trabalhavam como sacoleiros, engraxates, reparadores de carro, etc... testemunhavam muitos fatos cruéis devido a exposição diária nas ruas, quando deveriam estar nas salas de aula ou brincando.
Mas Carlos lembra com saudade o tempo que passou pelo Emaús, e esse testemunho nos diz muito.

JOSE MARIA DIAS 7 meses

Venha, seja um Sócio Solidário!

Raiz de todo o Movimento de Emaús, a República do Pequeno Vendedor hoje desenvolve suas atividades de educação social(socialização) com crianças e adolescentes em situação de risco pessoal e social em belém, no bairro do Benguí e entorno.

O Movimento, através de suas Assembleias, quer manter ainda o nome vinculado aos pequenos vendedores de rua, por preservar a memória da presença junto aos meninos e meninas em situação de rua durante 40 anos.

Entretanto hoje, pelo advento de ações integradas e políticas voltadas ao resgate das crianças das ruas de Belém com resultados ainda satisfatórios, a República tem deslocado sua intervenção mais efetiva da situação da “rua do asfalto” para a situação de profunda vulnerabilidade que atinge crianças e adolescentes em periferias marcadas, além do trabalho precoce, por índices alarmantes de violência, tráfico e outras situações de alto risco.

Nesse contexto as crianças e jovens vivem, ainda hoje, podemos dizer, na “rua da amargura” e da exclusão. A construção de oportunidades para esses filhos e filhas sofridos de uma sociedade doente continua sendo um grande desafio.

As atividades socioculturais, esportivas e de lazer possibilitaram a participação dos sujeitos nos mais variados espaços e eventos, mostrando a viabilidade da educação popular enquanto estratégia para a elevação da cidadania, formação e incidência política dos educandos. A proposta coletiva de educação obteve destaque a partir dos momentos de assembleias, encontros, seminários, Pré-Conferência e Conferência Municipal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes.

Com as ações voltadas para o esporte, lazer e recreação a República movimenta a comunidade local por meio de torneios, campeonatos e gincana cultural. Já as atividades de Teatro, Percussão, Violino e Violão, mostraram a estética da música e da dramaturgia em diversas apresentações, performances e montagens, beneficiando centenas de pessoas, formando platéias e difundindo a cultura popular, clássica e de massa.