Abas primárias

Escravidão e Pastoreio no RS

Educação - Passo Fundo, RS
kicks
Arrecadados da meta de R$3.000,00
Encerrado!
Campanha flexível

Esta campanha recebeu todos os fundos arrecadados até 27/11/2015.

Recompensas

  • R$20,00

    Escravidão e Pastoreio no RS [1780-1889]
    Por apenas R$ 20,00 estará adquirindo importante obra sobre a contribuição da mão de obra cativa na formação sócio-econômica-cultural do RS. Não deixe decontribuir!
    5 pessoas kickaram.
    Restam 195 kicks.
    Entrega estimada em 28/11/2015

Por muitos anos a historiografia tradicional sul-rio-grandense desconsiderou, ocultando ideologicamente a participação da mão de obra cativa no desenvolvimento sócio-econômico-cultural do processo histório do Rio Grande do Sul. O trabalho apresentado contesta a tese da historiografia tradicional e, sobretudo, comprova, sem concessões ideológicas, com fontes primárias - inventários post-mortem - que os cativos africanos eram os principais agentes produtivosdas das estâncias sul-rio-grandense nos séculos 18 e 19.

A presença do trabalhador escravizado nas fazendas pastoris sul -rio-grandense dos séculos 18 e 19 necessitam de uma análise quantitativa e, sobretudo, qualificativa. Nos últimos anos, a historiografia sul-rio-grandense rompeu com o silêncio impostos pelos historiadores tradicionais e deu importantes passos nesse sentido. Excelentes trabalhados foram realizados, sustentados em farta base empírica, a partir de fontes primárias, na tentativa de aproximação da realidade passada do trabalhador escravizado. Esperamos que nosso trabalho contribua no preenchimento de lacunas historiográficas existentes sobre o tema, tanto no âmbito local, regional ou nacional.


A hora é agora! Contribua com
Escravidão e Pastoreio no RS


Conheça quem está à frente desta campanha

Setembrino Dal Bosco
  Setembrino Dal Bosco
  

Você acredita que essa campanha tenha conteúdo proibido? Reporte esta campanha.