Abas primárias

Salve o JP, voz e fiscal da Amazônia

Jornalismo - Belém, PA
kicks
Arrecadados da meta de R$160.000,00
Campanha flexível

Esta campanha irá receber todas contribuições em 30/01/2017.

Recompensas

Há 29 anos, uma voz solitária fiscaliza os três poderes e as grandes corporações da Amazônia. Seu nome: Lúcio Flávio Pinto.

Em 1987, depois de cobrir a Amazônia para alguns dos maiores jornais e revistas do país, o jornalista e sociólogo Lúcio Flávio fundou o Jornal Pessoal. Para que pudesse ter total independência, o jornal nunca aceitou publicidade. Desde então, sobrevive apenas com os recursos arrecadados com as vendas em banca.

Sediado em Belém, no Pará, e com edição quinzenal, o Jornal Pessoal é mais longevo veículo alternativo da imprensa contemporânea do Brasil -  não, contudo, sem um imenso sacrifício pessoal.

Em razão das denúncias publicadas no Jornal Pessoal, Lúcio Flávio já foi alvo de 34 processos judiciais (4 ainda em curso), recebeu inúmeras ameaçasm, inclusive de morte, e foi agredido fisicamente por poderosos da Amazônia que gostariam que o Jornal Pessoal não existisse.

O Jornal Pessoal é sinônimo de jornalismo investigativo e combativo na Amazônia. Para citar um único exemplo, foi Lúcio Flávio quem desvendou a morte do ex-deputado Paulo Fonteles de Lima, primeiro advogado a defender posseiros em conflitos de terra no Pará.

Seu trabalho é reconhecido no Brasil e no exterior. Veja alguns dos prêmios recebidos por Lúcio Flávio:

* Prêmio Colombe d'Oro per la Pace, concedido pela ONG italiana Archivio Disarmo em reconhecimento à sua significativa contribuição na promoção da paz;

* Internacional Press Freedom Award, concedido pelo Committee to Protect Journalists (CPJ), sediado em Nova York, como reconhecimento por seu destacado trabalho na defesa da liberdade de imprensa;

* Prêmio Esso (quatro vezes), o mais importante da imprensa nacional;

* Prêmio Wladimir Herzog, o mais importante do Brasil na área de jornalismo e direitos humanos;

Lúcio Flávio é o único brasileiro na lista dos mais importantes jornalistas do mundo da ONG Repórteres Sem Fronteiras, com sede em Paris;

Ele também tem uma profunda relação com a academia, já tendo sido:

* Professor visitante do Centro de Estudos Latino-Americanos da Universidade da Flórida em Gainesville, EUA;

* Professor visitante no Núcleo de Altos Estudos Amazônicos e no Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Pará (UFPA).

Com mais de 50 anos de atuação no jornalismo, Lúcio Flávio tem 21 livros publicados.

Apesar de sua gigantesca e heroica folha de serviços prestados à Amazônia, o Jornal Pessoal de Lúcio Flávio Pinto corre o risco de acabar. Os recursos angariados com a venda em banca já não são suficientes para cobrir seus (módicos) custos (R$ 5.840 por mês). Nos últimos tempos, Lúcio Flávio tem feito dívidas pessoais para continuar bancando o jornal, mas há muito já ultrapassou o limite do possível. Caso não receba um aporte extra, o Jornal Pessoal encerrará suas atividades no começo de 2017.

Esta “caixinha” tem como objetivo levantar recursos para bancar os custos do Jornal Pessoal durante dois anos (24 meses x R$ 5.840). Não é uma solução definitiva, mas já é um bom começo.

Às vésperas do 30º aniversário do Jornal Pessoal, esse é o melhor presente que você poderia dar à Amazônia, maior fronteira de recursos naturais do planeta.

Colabore! Divulgue! Não deixe a Amazônia perder uma de suas vozes mais importantes!


A hora é agora! Contribua com
Salve o JP, voz e fiscal da Amazônia

Saiba mais sobre o criador desta campanha:

Facebook | Twitter | Blog do Lucas Figueiredo

Conheça quem está à frente desta campanha

Lucas Figueiredo
  Lucas Figueiredo
  

Você acredita que essa campanha tenha conteúdo proibido? Reporte esta campanha.