Abas primárias

S.O.S. Gingado das Baianas e a Biomedicina

Comunidade - Olinda, PE
kicks
Arrecadados da meta de R$10.000,00
Encerrado!
Campanha flexível

Esta campanha recebeu todos os fundos arrecadados até 26/02/2019.

Recompensas

  • R$80,00

    Uma caneca da Gingado das Baianas
    Uma caneca com a logomarca da Escola de Samba Gingado das Baianas.
    Restam 100 kicks.
    Entrega estimada em 31/05/2019

  • R$100,00

    Uma camiseta da Gingado das Baianas
    Uma camiseta com a logomarca da Escola de Samba Gingado das Baianas (P, M ou G).
    Restam 100 kicks.
    Entrega estimada em 31/05/2019

  • R$150,00

    Um kit de camiseta e caneca da Gingado das Baianas
    Kit com uma camiseta (P, M ou G) e uma caneca com a logomarca da Escola de Samba Gingado das Baianas.
    Restam 100 kicks.
    Entrega estimada em 31/05/2019

  • R$200,00

    Kit com uma camiseta (P, M ou G), uma caneca com a logomarca da Gingado das Baianas e um Diploma personalizado impresso.
    Um kit de camiseta e caneca da Gingado das Baianas, Diploma impresso de Madrinha ou Padrinho da Escola de Samba.
    Restam 100 kicks.
    Entrega estimada em 31/05/2019

O Grêmio Recreativo Cultural Escola de Samba Gingado das Baianas tem como enredo no carnaval de 2019 a Biomedicina, a união da sabedoria dos povos indígenas brasileiros e da África rumo ao Reino mítico das folhas encantadas, o "Reino de Ossaim", pela importância das folhas na cura física e espiritual. Tratamentos realizados por curandeiros, raizeiros, babalorixás, xamãs, argiloterapêutas, parteiras e benzedeiras unem a África dos orixás à pajelança indígena brasileira.

Veja aqui Dr. Celerino apoiando a Gingado.

Veja aqui o ensaio da Bateria Pretos Ricos, da Escola de Samba Gingado das Baianas.

Da miscigenação de povos negros, indígenas e brancos, surge a prática dessa farmacologia natural, a Biomedicina. Nesse contexto,presta homenagem ao médico do Centro Nordestino de Medicina Natural, Dr. Celerino Carriconde, um sulista que aportou em Pernambuco pelas mãos de Dom Hélder Câmara, depois de viver e se especializar no exterior em medicina de família e saúde publica. Dr. Celerino desenvolveu forte identificação com as raízes afroindígenas em Pernambuco, ao longo dos últimos 35 anos.

Nossa Escola da Samba, nascida no bairro da Linha do Tiro, em Recife (PE), em 13 de maio de 1989, foi renascida em 2015, no bairro de Arthur Ludgreen, e segue articulando comunidades em Rio Doce. Atua na valorização do mosaico étnico brasileiro - povos quilombolas, indígenas e comunidades tradicionais -, na defesa de seus saberes tradicionais e de sua cultura, da natureza e do meio ambiente, e da Economia Solidária, que privilegia as associações humanas e as relações comerciais justas. Em 2019, a maior parte de suas fantasias e adereços é produzida a partir de material descartado e lixo reciclável, para chamar atenção para o grande desperdício de recursos naturais resultante da sociedade de consumo e para a necessidade de reduzir o descarte e praticar o aproveitamento de materiais, na construção de uma sociedade mais justa e respeitosa com o planeta.

A Escola atua, ainda, no fortalecimento comunitário e identitário e acredita que a música, a cultura e a arte são instrumentos de transformação do mundo e de valorização humana. Nossa Escola está com graves dificuldades financeiras para fazer seu desfile de 2019, também em função de seu processo de institucionalização, ainda não finalizado. O Responsável pela Escola, hoje, é Bàbá ólufòn alùjhá, o Pai Henrique, o Riquinho da Gigante, que atuou muitos anos na Escola de Samba Gigantes do Samba, em Recife. Ele e sua esposa, Maria José, são os principais personagens da Escola, um casal que tem forte inspiração nos cantos, danças e filosofia religiosa yorubá. Sua matriz é o candomblé pernambucano, que difere do baiano pela afirmação das raízes entrelaçadas de duas árvores gêmeas, a Jurema de fonte indígena, e a Iyálòrìsà afrobrasileira.

Riquinho da Gigante é babalorixá de base urbana - seus filhos e filhas se integram uma vez por ano, na tessitura de um enredo combinado com fantasias e adereços, carro alegórico e varias alas (bloco de frente, Baianas, Pajés, Benzedeiras, Raizeiras, Medicina Natural, Agroecologia). Tal configuração será encenada no dia 9 de março, sábado seguinte ao final do Carnaval, como parte da qualificação da Gingado para entrar no rol das Escolas de Samba de Olinda.

O envolvimento dos filhos e filhas do Babalorixá Riquinho da Gigante (que é também mestre-passista da escola) é uma experiência forte no sentido comunitário, pois envolve trocas de favores, simpatias, inclinações, sonhos e aspirações mais genuínas da gente de extração popular da Grande Recife!

Ao longo dos últimos anos, as novas escolas de samba de raiz (que têm ou tiveram origem em terreiros de Candomblé) têm sido apoiadas por políticas municipais e doações particulares. Mas grande parte do trabalho no ano é do tipo associado, ou de trocas e esforço dedicado de parentes, amigos e colegas. Com recursos escassos, se tornam importantes as doações de amigos, simpatizantes, colegas e parentes. É um trabalho é de economia solidária ou comunitária!

Daí a importância da sua doação para a Gingado das Baianas, uma escola nascida de fortes personagens da cultura tradicional, que vem resistindo como esforço comunitário familiar e solidário

Sem recursos para arcar com as despesas do desfile, a Gingado das Baianas conta com a sua ajuda! Ao nos ajudar, você contribui para fortalecer a comunidade, manter a Escola e divulgar o tema importante levado pelo enredo, a Biomedicina.

As recompensas são simbólicas e representam uma recordação  - canecas e camisetas da Escola e Diploma impresso de Madrinha ou Padrinho da Escola.

 


A hora é agora! Contribua com
S.O.S. Gingado das Baianas e a Biomedicina

Saiba mais sobre o criador desta campanha:

Facebook | Gingado das Baianas | Instagram

Conheça quem está à frente desta campanha

Henrique Rodrigo Lima de Melo
  Henrique Rodrigo Lima de Melo
  

Você acredita que essa campanha tenha conteúdo proibido? Reporte esta campanha.