Abas primárias

Três livros amazonenses na Bienal SP

Livros - Manaus, AM
kicks
Arrecadados da meta de R$12.000,00
Encerrado!
Campanha flexível

Esta campanha recebeu todos os fundos arrecadados até 30/04/2016.

Recompensas

  • R$10,00

    1 - Agradecimentos
    O colaborador será citado nas páginas de agradecimentos de cada um dos três livros da campanha, tanto nas versões impressas quanto nos e-books.
    3 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 30/09/2016

  • R$25,00

    2 - Agradecimentos + 1 MOBI
    Além dos agradecimentos, o colaborador recebe um e-book (formato MOBI *) com o título de sua preferência (entre um dos três da campanha).
    4 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 30/09/2016

  • R$40,00

    3 - Agradecimentos + 2 MOBI
    Além dos agradecimentos, o colaborador recebe dois e-books (formato MOBI*) com dois dos títulos de sua preferência (entre um dos três da campanha).
    3 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 30/09/2016

  • R$55,00

    4 - Agradecimentos + 3 MOBI
    Além dos agradecimentos, o colaborador recebe os e-books (formato MOBI*) dos três títulos da campanha.
    Entrega estimada em 30/09/2016

  • R$70,00

    5 - Agradecimentos + 4 MOBIs
    Além dos agradecimentos, o colaborador recebe os e-books (formato MOBI*) dos três títulos da campanha, mais um quarto e-book entre um dos títulos: Quando a selva sussurra: contos amazônicos ou O último Gargalo de Gaia: distopias, steampunk e dias finais.
    Entrega estimada em 30/09/2016

  • R$85,00

    6 - Agradecimentos + 5 MOBIs
    Além dos agradecimentos, o colaborador recebe os e-books (formato MOBI*) dos três títulos da campanha, mais os e-books dos títulos Quando a selva sussurra: contos amazônicos e O último Gargalo de Gaia: distopias, steampunk e dias finais.
    Entrega estimada em 30/09/2016

  • R$60,00

    7 - Agradecimentos + 1 IMPRESSO + Marcadores
    Além dos agradecimentos, o colaborador recebe um exemplar impresso de UM dos três títulos da campanha, além de marcadores personalizados.
    3 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 30/09/2016

  • R$90,00

    8 - Agradecimentos + 2 IMPRESSOS + Marcadores
    Além dos agradecimentos, o colaborador recebe um exemplar impresso de DOIS dos três títulos da campanha, além de marcadores personalizados.
    Uma pessoa kickou.
    Entrega estimada em 30/09/2016

  • R$120,00

    9 - Agradecimentos + 3 IMPRESSOS + Marcadores
    Além dos agradecimentos, o colaborador recebe um exemplar impresso dos TRÊS títulos da campanha, além de marcadores personalizados.
    7 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 30/09/2016

  • R$150,00

    10 - Agradecimentos + 4 IMPRESSOS + Marcadores
    Além dos agradecimentos, o colaborador recebe um exemplar impresso dos TRÊS títulos da campanha, mais um exemplar impresso do livro Quando a selva sussurra: contos amazônicos, além de marcadores personalizados.
    4 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 30/09/2016

  • R$200,00

    11 - Agradecimentos + 4 IMPRESSOS + Selos postais
    Além dos agradecimentos, o colaborador recebe um exemplar impresso dos TRÊS títulos da campanha, mais um exemplar impresso do livro Quando a selva sussurra: contos amazônicos, mais selos postais oficiais dos Correios com as artes de capa dos títulos da campanha, além de marcadores personalizados.
    3 pessoas kickaram.
    Restam 7 kicks.
    Entrega estimada em 31/10/2016

  • R$400,00

    12 - Agradecimentos + 4 IMPRESSOS + Selos postais + Palestra exclusiva
    Além dos agradecimentos, o colaborador recebe um exemplar impresso dos TRÊS títulos da campanha, mais um exemplar impresso do livro Quando a selva sussurra: contos amazônicos, mais selos postais oficiais dos Correios com as artes de capa dos títulos da campanha, além de marcadores personalizados e uma atividade exclusiva (bate-papo, entrevista, palestra) com UM dos três autores da campanha.
    Restam 5 kicks.
    Entrega estimada em 31/10/2016

O projeto

A missão é ousada e arriscada: levar três títulos amazonenses inéditos para serem lançados na Bienal Internacional do Livro de São Paulo, este ano, por meio de uma campanha “tudo ou nada” de financiamento coletivo (crowdfunding). Todos os títulos serão lançados no estande da Lendari, selo editorial dedicado à literatura fantástica, realismo mágico e ficção científica.

O espaço no evento já está assegurado: no fim de 2015, o selo Lendari assinou contrato com a Câmara Brasileira do Livro (CBL) para ocupar estande próprio na Travessa Literária, setor da Bienal reservado para autores, editoras e títulos independentes. Na ocasião, também será relançada a antologia Quando a selva sussurra: contos amazônicos.

A campanha

Os três livros já estão prontos, restando, literalmente, colocá-los no papel. Nossa campanha de financiamento coletivo, portanto, visa obter apenas os recursos necessários para imprimir entre 200 e 300 exemplares de cada livro, em tiragens específicas para o lançamento no estande da Lendari na Bienal de São Paulo.

Para além da impressão, contudo, a campanha de participação dos novos autores amazonenses em um dos maiores eventos literários do mundo é uma forma de inserir o nome do Amazonas e de Manaus no circuito da literatura mundial. Para esta 24ª edição, estão confirmadas as participações de nada menos que 186 autores nacionais e 22 estrangeiros.

Nos dez dias de evento, deverão visitar o Pavilhão de Exposições do Parque Anhembi aproximadamente 720 mil pessoas de todo o país, que organizam caravanas anuais para conhecer de perto seus autores preferidos e ter a oportunidade de estar frente a frente com novos nomes da literatura.

No total, a CBL estima que 70 países estarão representados, entre eles França, Índia, China, Alemanha, Suíça, Canadá, Japão e Angola. Serão 1,5 mil horas de programação com 300 expositores, sendo 750 selos, e mais de 400 atrações em nove espaços culturais. É neste cenário rico, plural e diversificado que queremos expor a nova literatura amazonense.

Os livros

Os três títulos da campanha são assinados por novas promessas da literatura amazonense: Mário Bentes, Jan Santos e Leila Plácido. Enquanto os dois primeiros já possuem títulos lançados, a terceira vai estrear no mercado. Confira, a seguir, mais detalhes sobre os títulos, sinopses e artes de capa, além de minibriografias de seus respectivos autores.

Livro um da série Minhas conversas com o diabo, de Mário Bentes

“Minhas conversas com o diabo”, de Mário Bentes.

 

A Rainha de Maio, de Jan Santos

 

Quase o fim, de Leila Plácido

 

Os autores

Mário Bentes

Mário Bentes

Na avaliação do site especializado Literatortura, ao resenhar a obra A terra por onde caminho (2012), seu livro de estreia, o jornalista, escritor e editor de quase 32 anos de idade possui “linguagem altamente parabólica e profética”.

Buscando referências para compor o que o próprio autor classifica como “realismo mágico bíblico”, Bentes baseia sua obra, principalmente, na mitologia judaico-cristã – mas constantemente busca inspirações na vida real para criar a narrativas e personagens, evocando o estilo direto de Ernest Hemingway e o misticismo-tangível de Gabriel García Márquez.

Ao mesmo tempo, adota um estilo narrativo que flerta com o cinismo, ao não deixar suficientemente claro, aos olhos do leitor, se está ou não fazendo críticas pesadas nas estruturas das crenças nas quais se baseia para escrever. “Gosto de acreditar que minha obra é, metaforicamente, o sorriso da Monalisa”, diz.

Tendo o conto como principal gênero, Bentes já participou de sete antologias literárias, desde 2010. São textos de sua autoria: ‘Manaos Railway’ e ‘A índia que não temia a noite’ (Quando a selva sussurra: contos amazônicos – Lendari, 2015); ‘O homem por trás da cortina’ (O Corvo: um livro colaborativo – Empíreo, 2015), ‘Aleluia’ (Desnamorados – Empíreo, 2014) e ‘A quinta trombeta’ (Moedas para o barqueiro, Volume 2 – Andross, 2011).

Outros contos: ‘Insuspeito para um caso encerrado’ e ‘O interrogatório do estranho menino’ (Jogos Criminais – Andross, 2011); ‘O pássaro verde e o velório’ (Moedas para o barqueiro – Andross, 2010) e ‘Sobre as águas’ (Histórias Liliputianas – Andross, 2010). Também é organizador da antologia de ficção científica – ainda inédita – O último Gargalo de Gaia: distopias, steampunk e dias finais (Lendari, 2016).

 

Jan Santos

Jan Santos

Dono de um estilo poderoso e envolvente, Jan Santos pode ser considerado um autêntico representante do legado H.P. Lovecraft, ao explorar uma rica fauna de entidades místicas, povos antigos, lendas desconhecidas e conhecimentos ancestrais. Ao mesmo tempo, presta grande homenagem à chamada “literatura tolkiana” ao construir, por meio de suas ideias, uma complexa mitologia própria, publicamente iniciada pela obra independente Evangeline: relatos de um mundo sem luz.

Os recortes, influências e autorreferências da “mitologia jânica”, como carinhosamente costuma chamar seu editor, estão por toda a parte. Nos contos ‘O que o fogo nos deu’ e ‘Dízimo’, ambos publicados na antologia Quando a selva sussurra: contos amazônicos (Lendari, 2015), Jan usa sua própria linguagem, entrefatos históricos e contextos lendários para fazer sua releitura pessoal de conhecidas lendas da região Amazônica. Isso, claro, sem prejudicar a essência das narrativas originais sobre as quais quis prestar homenagem.

“Sinto que o Universo que estou construindo é tão vasto que posso observá-lo em todos os lugares”, diz o autor, que prepara uma série de livros baseados nos contos apresentados no primeiro título de ‘Evangeline’.

 

Leila Plácido

Leila Plácido

Ainda que, ao contrário de seus colegas, não tenha um livro já lançado para chamar de seu, Leila Plácido já mostra a que veio em sua obra de estreia. Unificando dois estilos aparentemente incapazes de caminhar juntos – distopias pós-apocalípticas e sutis toques de humor –, a autora inova com estilo próprio e cheio de personalidade. Sua narrativa híbrida, densa, mas ao mesmo tempo objetiva, consegue fazer emergir sentimentos diversos: do suspense, usando de elementos descritivos detalhados, até a ansiedade e a pura graça.

Utilizando todo o contexto possível do real, inclusive as dificuldades logísticas da cidade natal – Manaus – para conectar-se com o restante do país, Leila utiliza uma linguagem simples, quase coloquial, tornando a leitura uma atividade leve. Mas sua facilidade serve apenas como ferramenta versátil para relevar uma narrativa complexa, com indas e vindas, e repleta de pistas e referências à cultura pop.

Pode-se dizer, por fim, que a estreante escritora carrega consigo, talvez por referências inconscientes e despropositais, o melhor estilo de criação literária da famosa e lendária “geração beat”: uma forma de escrever um tanto quanto compulsiva, imitando o próprio pensamento humano desordenado e evidenciando o estilo mais próximo do oral, com linguagem informal e ágil. “Se o estilo é exclusivo de minha primeira obra, só o tempo dirá”, sugere.

Recompensas da campanha

Confira os itens das recompensas aos colaboradores da campanha. Os detalhes também estão dispostos na coluna lateral direita.

Sobre o selo editorial Lendari

Lançado em novembro de 2014 pelo escritor Mário Bentes, após sua participação na 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, o selo Lendari é dedicado à literatura fantástica, realismo mágico e ficção científica. Seu primeiro título foi a antologia Quando a selva sussurra: contos amazônicos, lançada em Manaus em dezembro de 2015.

Outro título em fase de produção editorial é a antologia O último Gargalo de Gaia: distopias, steampunk e dias finais, que será lançada, em sua versão digital (e-book), em outubro de 2016, após a edição deste ano da Bienal Internacional do Livro de São Paulo.


A hora é agora! Contribua com
Três livros amazonenses na Bienal SP

Saiba mais sobre o criador desta campanha:

Facebook | Lendari

Conheça quem está à frente desta campanha

Mário Bentes
  Mário Bentes
  

Você acredita que essa campanha tenha conteúdo proibido? Reporte esta campanha.