Abas primárias

Incentivar e Promover o Esporte para Jovens Surdas

Esportes
kicks
Arrecadados da meta de R$48.000,00
Encerrado!
Campanha flexível

Esta campanha recebeu todos os fundos arrecadados até 03/11/2015.

Segundo o último Censo Demográfico (IBGE 2010), cerca de 45,6 milhões de brasileiros tem pelo menos uma deficiência. 9.722.163 brasileiros declararam possuir a surdez, o que representa 5,1% da população brasileira. Deste total cerca de 2 milhões possuem a deficiência auditiva severa (1,7 milhões têm grande dificuldade para ouvir e 344,2 mil são surdos), e 7,5 milhões apresentam alguma dificuldade auditiva. No que se refere a idade, cerca de 1 milhão de deficientes auditivos são crianças e jovens até 19 anos.

Apesar deste número, a maioria das pessoas ainda não se ateve à realidade em que estes cidadãos vivem. Com falta de projetos específicos, estrutura e apoio, precisam buscar uma maneira de se adaptar às dificuldades que encontram num simples cotidiano. Este quadro resulta em mais um modo de exclusão social no país.

O esporte se apresenta através de projetos inclusivos, uma forma de melhorar a qualidade de vida destas pessoas. Encontrar uma maneira de fazer qualquer esporte, mesmo que possua algum tipo de necessidade especial, é algo muito importante para a sociedade, pois possibilita a inclusão dessas pessoas no cotidiano, além de nos adaptarmos com mudanças a favor deles.

Por se tratar de uma privação sensorial, a surdez não interfere no desenvolvimento motor, cognitivo ou psicológico do indivíduo. Entretanto, a limitação imposta pela falta de uma língua pode dificultar a compreensão e o relacionamento, interferindo na aprendizagem e no comportamento do indivíduo. Problemas motores significativos, quando ocorrem, são sempre associados à surdez, nunca consequência dela. Já algum atraso no desenvolvimento motor pode ser reflexo de abandono ou excessivo cuidado por parte da família, de falta de irmãos ou colegas com quem brincar ou de períodos prolongados em leitos (hospitalares ou residenciais), quando a surdez é decorrente de doenças que exijam repouso absoluto e/ou quarentena, a fim de evitar contágio.

De qualquer forma, a surdez em si não implica em nenhuma restrição para a prática de atividade física. Não existem atividades mais ou menos adequadas para pessoas surdas. A adequação sempre vai estar relacionada à faixa etária, ao interesse, às possibilidades e às limitações individuais.

Em relação aos esportes de um modo geral, não há necessidade de modificações nas regras ou na forma de arbitragem, seguem as mesmas regras do esporte olímpico. Uma pista visual, como uma bandeira, por exemplo, pode ser usada junto com o estímulo sonoro habitual (apito, tiro de partida, outros) ou em substituição a ele.

No voleibol as regras são as mesmas, apenas entra a sinalização de bandeiras junto com o apito.

O Projeto

O Projeto de Voleibol para Jovens Surdas, prevê a disponibilização de toda a infra-estrutura necessária para o desenvolvimento do voleibol entre meninas e jovens surdas de todo país.

O projeto terá uma equipe técnica com professores especializados na modalidade, coordenado pelo ex-atleta olímpico Xandó da Geração de Prata de Willian, Amauri, Bernard, Renan, Montanaro, Bernardinho e muitos outros grandes nomes precursores do voleibol no Brasil.

O projeto terá início na cidade de Praia Grande a partir de novembro de 2015. Praia Grande possui inúmeras colônias de férias com um custo baixo para hospedagem e alimentação além uma excelente infra-estrutura esportiva para o desenvolvimento do trabalho.

Vamos reunir grupos de jovens surdas em 01 final semana no mês de novembro e no mês de dezembro com treinos nos períodos da manhã/tarde no sábado e manhã no domingo.

O trabalho tem por objetivo incentivar a prática do voleibol entre as jovens surdas e revelar talentos para compor a seleção brasileira de surdas para competir em eventos internacionais representando o Brasil.

Orçamento

Para realização do Projeto no período de 2 meses, necessitamos de R$ 48.000,00 para as seguintes despesas:

- Hospedagem e Alimentação: 40 pessoas 

- Material Esportivo: Bolas, rede, antenas, cones, elásticos, colchonetes, etc

- Uniformes

 

 

 

 

 

 


A hora é agora! Contribua com
Incentivar e Promover o Esporte para Jovens Surdas


Conheça quem está à frente desta campanha

Mario Xandó Oliveira Neto
  Mario Xandó Oliveira Neto
  

Você acredita que essa campanha tenha conteúdo proibido? Reporte esta campanha.