Abas primárias

Quando os mudos conversam - Livro de crônicas

Livros - Santos, SP
kicks
Arrecadados da meta de R$11.000,00
Encerrado!
Campanha flexível

Esta campanha recebeu todos os fundos arrecadados até 08/11/2014.

Recompensas

  • R$15,00

    Uma palavra
    R$ 15 – arquivo do livro em PDF, mais nome na página de agradecimentos
    12 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 15/12/2014

  • R$40,00

    Uma frase
    R$ 40 – exemplar do livro, mais nome na página de agradecimentos
    73 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 15/12/2014

  • R$60,00

    Um verso
    R$ 60 – exemplar do livro, mais exemplar da obra “O Jeitinho Brasileiro”, de Mathew Shirts, além de nome na página de agradecimentos
    22 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 15/12/2014

  • R$80,00

    Um micro-conto
    R$ 80 – exemplar do livro, mais exemplar das obras “O Jeitinho Brasileiro”, de Mathew Shirts, e “Blogs do Além”, de Vitor Knijnik, além de nome na página de agradecimentos
    22 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 15/12/2014

  • R$150,00

    Uma crônica
    R$ 150 – exemplar do livro, mais participação no workshop “Como escrever crônicas”, na Livraria Realejo, além de nome na página de agradecimentos
    4 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 15/12/2014

  • R$300,00

    Uma biblioteca
    R$ 300 – exemplar do livro, mais seis exemplares de título da Realejo Livros, além de nome na página de agradecimentos
    3 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 15/12/2014

  • R$1.000,00

    Um sorriso em palavras
    R$ 1000 – 50 exemplares do livro, mais logotipo da empresa patrocinadora, além de nome na página de agradecimentos
    4 pessoas kickaram.
    Entrega estimada em 15/12/2014

Sempre escrevi crônicas. No início, de forma esparsa. A partir de 2007, como combustível de liberdade. Para que o livro "Quando os mudos conversam" , uma seleção de 80 crônicas escolhidas a partir de cerca de 500 textos produzidos nos últimos sete anos seja lançada, preciso de sua colaboração nesta campanha. 

Clique ao lado e incentive a cultura! Colabore com esta campanha!

 O livro "Quando os mudos conversam" é acima de tudo um pedaço de mim mesmo. É a radiografia de caminhos, meus e de outras pessoas, que inevitavelmente me transformaram no escritor que sou hoje, diferente do que serei na próxima crônica a ser escrita. O livro é a tentativa de desenhar histórias que podem nos servir de espelho, de como todos, anônimos ou não, tem algo a dizer, tem uma vida a ser compartilhada. 

Recompensas

Para os colaboradores desta campanha, preparei recompensas muito legais.  Em todas elas, a crônica e a força da palavra são as maiores formas de gratidão pelo seu apoio. Veja as opções abaixo: 

R$ 15 – arquivo do livro em PDF, mais nome na página de agradecimentos

R$ 40 – exemplar do livro, mais nome na página de agradecimentos

R$ 60 – exemplar do livro, mais exemplar da obra “O Jeitinho Brasileiro”, de Mathew Shirts, além de nome na página de agradecimentos

R$ 80 – exemplar do livro, mais exemplar das obras “O Jeitinho Brasileiro”, de Mathew Shirts, e “Blogs do Além”, de Vitor Knijnik, além de nome na página de agradecimentos

R$ 150 – exemplar do livro, mais participação no workshop “Como escrever crônicas”, na Livraria Realejo, além de nome na página de agradecimentos

R$ 300 – exemplar do livro, mais seis exemplares de título da Realejo Livros, além de nome na página de agradecimentos

R$ 1000 – 50 exemplares do livro, mais logotipo da empresa patrocinadora, além de nome na página de agradecimentos 

O projeto

"Quando os mudos conversam" se constitui na publicação de um livro de crônicas, com 80 textos. O projeto envolve a arrecadação de recursos que permitam a edição da obra. Esse processo inclui, além da edição, a revisão, impressão e distribuição do livro. O capítulo final seria o lançamento da obra, com a reunião de todos aqueles que contribuíram para a realização do projeto. 

O livro é dividido em três partes. A primeira, intitulada EU, abriga textos que têm relação direta com experiências minhas, sempre consciente de que a crônica é o retrato do microcosmo, do detalhe do dia a dia. 

A segunda parte, TU, traz histórias de personagens comuns, gente que pouco ou nunca aparece num meio de comunicação, mas que possui histórias únicas, singelas e sensíveis. A terceira parte do livro, ELES, reúne crônicas de situações cotidianas mais amplas, olhares sobre comportamentos urbanos, com os quais todos nós podemos nos identificar. 

O Autor

Tenho 40 anos, dois filhos, uma mulher, um gato, uma bicicleta e centenas de livros. Sou jornalista há 21 anos e percebi, errando ou não, que as palavras têm peso e consequências. Moldei melhor esta teoria quando me tornei professor universitário, há 12 anos. Cada palavra merece ser escolhida e costurada com outras, de modo que nasçam histórias e delas se reproduzam realidades singulares de universos aparentemente comuns. 

Compreendi mais ainda o significado das palavras quando me tornei Mestre em Educação, em 2008. Ao estudar e escrever sobre as impressões de professores negros nas escolas públicas, ficou cristalino como uma praga social, o racismo, cicatriza nas pessoas por meio das palavras violentas. O título - Giz sem Cor - foi escolhido a dedo, e essas três palavras levaram os discursos de professores comuns, de rotinas anônimas, a vários endereços e leitores. 

Quando passei a escrever crônicas com regularidade, há sete anos, tive a certeza de que a força de um conjunto de letras poderia fazer com que aqueles de pouca ou nenhuma voz pudessem ter suas histórias retratadas. E mais: provocar identificação em outras pessoas, com trajetórias semelhantes, que se veem representadas por gente que, muitas vezes, nunca vão conhecer além do texto que leram. 

Escrever crônicas - e poder publicá-las em livro - significa, para mim, perpetuar as pequenas biografias (ou as situações detalhadas nas entrelinhas do cotidiano) para que leitores possam talvez compreender quem são ou o mundo que se desenha ao lado deles. 


A hora é agora! Contribua com
Quando os mudos conversam - Livro de crônicas

Saiba mais sobre o criador desta campanha:

Facebook | Twitter

Conheça quem está à frente desta campanha

Marcus Vinicius Batista
  Marcus Vinicius Batista
  

Você acredita que essa campanha tenha conteúdo proibido? Reporte esta campanha.